Posts Tagged modos de produção

Coletivos Artísticos e Modos de Produção

jul 16th, 2007 Posted in e/ou, registros | no comment »

Realizado em 27 de junho de 2007 no Teatro Celeiro, pela Cia Senhas de Teatro

Configuração dos modos de produção no Coletivo e/ou
Ao pensar na constituição da coletividade e nos modos de produção aponto para a necessária negociação entre os integrantes/participantes a partir daquilo que se deseja como atitude individual, para a construção de um conhecimento coletivo, o qual serve de via de articulação para proposições coletivas, o modo como são produzidas.

Este processo é de interesse pelo outro. Pela maneira com que o outro lida com as coisas a sua volta, pelas possibilidades de troca e produção geradas nas relações, e pela busca de um ambiente produtivo, que leve em conta as diferenças.

A construção da coletividade, o modo como é constituída influencia decisivamente no produto fruto dessas relações.

A idéia coletiva e/ou surgiu do encontro para elaboração de propostas de política cultural realizada via Câmara Setorial de Artes Visuais. Buscas individuais de vários níveis de entendimento, como a compreensão básica dos processos institucionais de apoio à produção artística, ou a implementação de novos programas de apoio (Bolsa Produção), ou pensar o papel das instituições no panorama das artes visuais em Curitiba e no Brasil.

Isso pressupunha uma atitude coletiva, por se tratar de política pública, porém, uma atitude coletiva e/ou ainda estava por ser construída.

O processo de construção e/ou (um outro parte de nós todos mas nenhum de nós) esteve atrelado (aqui é uma observação de experiência pessoal) a uma observação participativa, como uma fase primeira fase do processo de constituição do conhecimento coletivo, o qual como processo mais avançado imprime um modo de existir.

Essa observação participativa que pretende identificar as características expansivas e os limites individuais da atitude individual projetada para o campo experimental do coletivo, é o que pode sustentar as relações até a constituição do conhecimento coletivo, sempre em construção.

A sustentabilidade do coletivo depende da maneira como este constituiu seu conhecimento coletivo, como decidiu existir.

No coletivo e/ou isto ainda está por se configurar.